carta da crise

Foi com Élida Tessler no horizonte que comecei a pensar, há alguns anos, nesses divertissements, mas poderia dizer que a Leila Danziger também rondava meu imaginário, mesmo conhecendo-a pouco, só que depois dos primeiros me falaram do Leonardo Villa-Forte. Non-creative writing, apropriação, sampler, não-originalidade, pouco importa o conceito para quem faz, pois cada vez mais conceitos são feitos para o mercado (um corretor de imóveis me falou de um “novo conceito de dormitório” para apresentar um apartamento), não para a criação. Mas algumas cartas permitiram e importa que esta é uma correspondência pessoal para um grande amigo.

Este slideshow necessita de JavaScript.